Reajuste do IRPF não está previsto no corte orçamentário

A correção da tabela do Imposto de Renda da Pessoa Física (IRPF), prevista em 4,5% conforme compromisso assumido pelo governo federal, não foi computada no corte do Orçamento de R$ 50 bilhões. Segundo a secretária de Orçamento Federal do Ministério do Planejamento, Célia Correa, o Orçamento deverá sofrer novos reajustes para comportar o impacto fiscal previsto em R$ 2,2 bilhões.

No próximo dia 20 de março, será enviado um novo relatório de receitas e despesas do Orçamento Geral da União. “Assim que for divulgada e formalizada essa correção da tabela, vamos rever os números para o próximo relatório”, afirmou a secretária.

O reajuste do programa Bolsa Família, que está previsto ainda para este ano, também não faz parte da reprogramação orçamentária anunciada hoje (28) pelo governo. No entanto, quando o aumento for anunciado, haverá um remanejamento de gastos e despesas dentro dos ministérios. “A mudança será nas distribuições entre os órgãos. Não afeta nada os demais poderes'”, explicou Célia. O valor do aumento não está definido.

Além do corte anunciado, os demais poderes também vão sofrer ajuste fiscal. “Vai haver corte nos demais poderes. Ainda não se sabe o valor. Com base na arrecadação de fevereiro, vamos ter condições de fazer avaliação e ver o corte nos demais poderes”, disse Célia.