MP-MG denuncia caminhoneiro acusado de matar 5 em acidente

 

O promotor de Justiça Edson Baêta ofereceu, nesta sexta-feira, denúncia contra o caminhoneiro Leonardo Faria Hilário, que em 28 de janeiro causou a morte de cinco pessoas em um acidente que envolveu 14 carros e um caminhão, em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Hilário, 24 anos, teria ocasionado o acidente ao descer o trecho de 6 km do Anel Rodoviário, na altura do bairro Betânia, a 115 km/h. O limite de velocidade no local é de 80 km/h. Quatorze carros e um caminhão foram atingidos pela carreta bitrem, dirigida pelo caminhoneiro, que carregava 37 t de trigo.

Onze pessoas ficaram feridas no acidente. A menina Laura Gibosky, 4 anos, ainda está internada em estado grave no Hospital João XXIII.

O caminhoneiro está preso no Centro de Remanejamento do Sistema Prisional (CERESP) do bairro São Cristóvão, em Belo Horizonte. Ele foi indiciado pela Polícia Civil e agora denunciado pelo Ministério Público (MP) por homicídio com dolo eventual - quando o agente assume o risco de produzir o resultado-. O Tribunal de Justiça de Minas Gerais já negou duas vezes o relaxamento da prisão.

No último pedido, o desembargador Alberto Deodato Neto, da 1ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, alegou que "a prisão é necessária para a garantia da ordem pública e o êxito das investigações, que se encontram apenas em fase preliminar". Com a denúncia do MP, caso o juiz responsável pelo processo acate a decisão do promotor, Hilário será levado a júri popular.