PF e MPF investigam servidor do Ibama por corrupção em SP

A Polícia Federal cumpriu quatro mandados de busca e apreensão na quarta-feira no escritório regional do Ibama de Barretos (SP), após uma investigação do Ministério Público Federal (MPF) sobre suspeitas de corrupção e violação de sigilo funcional por um sevidor do órgão. Foram aprendidos documentos e arquivos de computador no escritório e em três residências de suspeitos de envolvimento no crime.

Segundo o MPF, as apurações indicam que o servidor vazava informações sigilosas sobre fiscalizações do Ibama para a diretoria de uma usina de cana-de-açúcar situada em Olímpia. "A direção da usina ficava sabendo com antecedência sobre fiscalizações que seriam feitas tanto em Olímpia como em outras cidades da região onde também atuava", disse o procurador da República André Menezes, responsável pelo caso.

O MPF informou ainda que, em interceptações telefônicas, os investigados foram flagrados conversando sobre dados sigilosos do Ibama. Nessas conversas, o servidor teria informado a direção da usina qual seria a ênfase da fiscalização, explicitando que documentação seria exigida e o tipo de irregularidade que seria vistoriada.

O material apreendido será analisado pela Polícia Federal. Dependendo do resultado da análise, o MPF informou que poderá entrar com ações penais na Justiça pedindo a condenação dos investigados por corrupção e por violação de sigilo funcional. Segundo a procuradoria, não há indícios de participação de outros servidores do Ibama.

Em nota, o Ibama informou que designou um corregedor e quatro servidores para auxiliar a Polícia Federal nas ações de busca e apreensão e na análise dos documentos apreendidos.