Funcionários são suspeitos de queimar alojamento da Odebrecht

RECIFE - Um grupo de funcionários da Odebrecht é suspeito de atear fogo no alojamento da empresa, localizado em Pontezinha, município do Cabo de Santo Agostinho (a 41 km do Recife). O local abriga cerca de 1,5 mil pessoas. Segundo a polícia, a ação, ocorrida na última quarta-feira, foi uma reação à decisão da Justiça, que julgou como ilegal uma greve iniciada pelos trabalhadores.

Além disso, a empresa teria ameaçado demitir os grevistas caso eles não voltassem ao trabalho. Conforme a polícia, houve pânico e algumas pessoas tiveram ferimentos leves durante o incêndio. Por volta de 23h de ontem, os policiais conseguiram esvaziar o local e uma equipe do Corpo de Bombeiros entrou para controlar as chamas.

Há uma semana, cerca de 8 mil trabalhadores da Odebrecht iniciaram uma greve exigindo um adicional de 30% por periculosidade e melhores condições de trabalho. Com a destruição do alojamento, os funcionários foram colocados numa quadra esportiva próxima ao local. A empresa informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que vai apurar o que aconteceu e se pronunciar, oficialmente, nesta quinta-feira.