Quinto detento é encontrado morto dentro de presídio alagoano

MACEIÓ - Mais um detento foi encontrado morto em Maceió, desta vez no presídio Cyridião Durval. É o quinto registro de morte nos presídios de Alagoas com as mesmas características das anteriores: sinais de suicídio. Outros dois casos haviam sido registrados no último domingo. Os presos estavam na enfermaria.

O Ministério Público (MP) descartou nesses dois casos o suicídio e investiga a atuação de agentes penitenciários. Os outros três casos também são investigados por, supostamente, terem envolvimento com agentes. Todos eles foram registrados em janeiro.

"Raros, em raríssimos casos mesmo se pode dizer que há suicídio em presídios", disse o promotor da Vara de Execuções Penais, Cyro Blater. De acordo com a Intendência do Sistema Prisional, o preso, que não teve a identidade revelada, apresentava sinais de enforcamento.

As mortes de cinco detentos nos presídios somente em janeiro de 2011 fizeram a Secretaria de Defesa Social solicitar o afastamento de três diretores de presídios. A crise no sistema prisional de Alagoas se arrasta há duas semanas. Agentes penitenciários encerraram, no último sábado, uma greve de 15 dias, mas de lá até a noite desta terça-feira, três presos foram encontrados mortos nas carceragens alagoanas.

Em 2006, quatro presos foram assassinados no presídio Baldomero Cavalcante; em 2007, seis presos morreram aparentemente por suicídio. Mas, o Ministério Público constatou casos de tortura e agentes foram presos. Descobriu-se depois que eles lideravam um grupo de extermínio, que atuava na parte alta de Maceió.