PR: jornalista presa por ajudar tráfico e mais 25 são indiciados

CURITIBA - Vinte e seis pessoas foram indiciadas por tráfico de drogas, falsidade ideológica e formação de quadrilha em Campo Mourão, cidade a 460 km de Curitiba (PR), após a realização da Operação Vila Mendes, pela Polícia Civil, no início deste ano.

Dezessete pessoas deste total foram presas na ocasião. A jornalista Maritânia Forlin, também presa na operação e liberada no último dia 26, foi indiciada por contribuição ao tráfico de drogas.

A jornalista seria amante de um traficante. Por causa de seu trabalho, em uma emissora de televisão, ela passava informações sobre investigações e operações para a quadrilha, que seria responsável por 90% dos homicídios que aconteceram na cidade em 2010.

Foram 47 assassinatos em Campo Mourão no ano passado. A polícia monitorou a jornalista para chegar até o grupo criminoso. A polícia estima que o grupo movimentava R$ 20 mil por mês com a venda de drogas.