Por erro de digitação, indicação de Fux ao STF será corrigida no DO de amanhã

BRASÍLIA - O despacho da presidente Dilma Rousseff que indicou Luiz Fux para ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) será retificado na edição de amanhã do Diário Oficial da União. A correção se deve a um erro de digitação no sobrenome do magistrado, que foi publicado nesta quarta-feira como "Pux".

De acordo com a assessoria da Casa Civil, o erro não invalida a indicação de Fux, que atualmente é ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ). Fux deve ocupar a 11ª vaga no STF, aberta desde agosto do ano passado com a aposentadoria de Eros Grau.

Natural do Rio de Janeiro, o ministro teve o apoio do governador do Estado, Sergio Cabral (PMDB). Ele será o segundo magistrado de carreira a integrar a Suprema Corte - atualmente, o único juiz de carreira é o presidente Cezar Peluso.

Com a publicação da indicação, Fux será agora sabatinado pelo Senado. Após a aprovação do nome pelos parlamentares, a presidente Dilma Rousseff fica encarregada de nomear o novo ministro.

A demora na escolha do novo ministro foi criticada nessa terça-feira por Gilmar Mendes após a abertura do ano judiciário. "A não indicação por um tempo tão longo acaba por afetar a funcionalidade do tribunal", disse o ministro do Supremo.