No Congresso, Dilma fala em acabar com a pobreza extrema

A presidente Dilma Rousseff (PT) participa nesta quarta-feira da primeira sessão legislativa do Congresso Nacional após a posse dos deputados e senadores, ocorrida ontem em Brasília. Ao lado de José Sarney (PMDB-AP), reeleito presidente do Senado, e Marco Maia (PT-RS), eleitro presidente da Câmara, Dilma afirmou que a principal missão do seu governo é acabar com a pobreza extrema no País.

"Temos a obrigação de aprofundar a democracia, começando por aquela que é a necessidade mais básica: erradicar a pobreza extrema no Brasil. Nâo podemos aceitar que milhares de pessoas continuem vivendo na miséria, que não tenham condições fundamentais de vida", afirmou Dilma, pedindo o apoio dos parlamentares para esse projeto.

A presidente disse também que acredita numa relação independente e harmoniosa entre os poderes, afirmando que o Brasil vive hoje o período democrático mais longo de sua história. "A democracia nos abriu um horizonte promissor, de justiça social, redução das desigualdades em todas as suas formas e consolidação de nosso desenvolvimento econômico e social", disse.

Outro tema abordado por Dilma e que diz respeito direto aos parlamentares é a retomada da agenda da reforma política. "Trabalharemos em conjunto com essa casa", afirmou.

Controle rígido da inflação

Disposta a manter a inflação controlada, um dos principais ganhos econômicos dos oito anos do governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Dilma prometeu que "manteremos a estabilidade econômica e não deixaremos a inflação corroer o nosso tecido econômico".

"Encaminharei ao Congresso Nacional uma proposta de longo prazo de reajuste do salário mínimo. Os salários dos trabalhadores terão ganhos reais sobre a inflação", disse ela, que também afirmou que boa parte dos recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), na segunda etapa, serão destinados a obras de infra-estrutura, visando a Copa do Mundo 2014.

Investimento em prevenção

Para evitar tragédias como as enchentes que causaram centenas de mortes na região serrana do Rio de Janeiro, Dilma Rousseff afirmou que o seu governo irá investir na prevenção.

"Investiremos pesadamente na geração de dados confiáveis que possam alertar a população com tempo e precisão para evitar tragédias como a da região serrana. Realizaremos obras de prevenção, atuaremos com os governos locais e vamos proporcionar às vítimas unidades de habitação com o programa Minha Casa, Minha Vida", disse.