Dilma escolhe técnico para presidir Furnas

BRASÍLIA - As mudanças prometidas pela presidente Dilma Rousseff no setor elétrico terão começo por Furnas. Segundo a Folha de S. Paulo, para gerir a estatal, alvo de acusações de irregularidades, a presidente escolheu o engenheiro Flávio Decat, técnico de sua confiança e avalizado por líderes do PMDB.

A indicação satisfaz o grupo do governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, e da família Sarney, que rendeu ao técnico uma citação em investigações da Polícia Federal na operação Boi Barriga.

Interceptações telefônicas feitas em 2008 mostraram que Fernando Sarney, filho de José Sarney (PMDB-AP), pediu ao pai para acomodar o amigo Flávio Decat em uma das diretorias da Eletrobras, o que foi efetivado três meses depois.

Segundo aliados, Dilma decidiu colocar em Furnas um nome de sua confiança, mas, ao mesmo tempo, ligado a setores do PMDB. O objetivo seria reduzir o poder do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), com grande influência sobre a estatal.

Na semana passada, a presidente avisou ao partido que não aceitaria indicações de Cunha e informou que deve mudar toda a diretoria da estatal.