Demóstenes será líder do DEM no Senado

O senador Demóstenes Torres (GO) assumirá a liderança do DEM a partir do dia 16 de março, em substituição a José Agripino (RN), que deixa o cargo um dia antes. Em entrevista à Agência Senado nesta quarta-feira, Demóstenes, que já foi líder da minoria, destacou que seu principal papel na função será fazer oposição ao governo, mas "uma oposição saudável".

O DEM, segundo Demóstenes, tem como pauta lutar contra o retorno da CPMF (Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira), por mais rigor na política fiscal e nas leis penais, pela implantação do orçamento impositivo e por reformas política e tributária que atendam "aos interesses do país".

CCJ

Reeleito em outubro para o segundo mandato como senador, Demóstenes presidiu a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania, considerada a mais importante do Senado, no biênio 2009/2010. Nesse período, o colegiado apreciou 2.011 proposições, tornando-se recordista em votação de matérias. Nos biênios anteriores, segundo lembrou o senador no final de 2010, a média de matérias apreciadas pela CCJ era de 300 proposições.

Demóstenes informou ainda que vai continuar na CCJ como suplente, deixando a vaga de titular para a senadora Kátia Abreu (DEM-TO), já que o DEM terá somente direito a uma vaga na comissão.

Fux

Sobre a indicação da presidente Dilma Rousseff para que o ministro do Superior Tribunal de Justiça Luiz Fux assuma uma cadeira no Supremo Tribunal Federal, em decorrência da aposentadoria do ministro Eros Grau, Demóstenes afirmou que a escolha foi acertada, pois se trata de uma "figura extremamente qualificada na área do Direito".

Quanto à sabatina e à votação secreta que Fux terá que enfrentar na CCJ, Demóstenes observou que as qualificações do magistrado farão com que "não haja nenhuma dificuldade para que seja aprovado". Depois de passar pela comissão, a indicação presidencial segue para exame do Plenário.