Pesquisadora da UnB tem entrada barrada na Espanha

BRASÍLIA - Uma pesquisadora de saúde pública da Universidade de Brasília (UnB) foi barrada no aeroporto de Madri, na Espanha, ficou 15 horas confinada, teve a bolsa apreendida e foi obrigada a voltar ao Brasil na última sexta-feira.

Denise Severo estava de férias e iria encontrar uma amiga que havia chegado no país em outro voo, mas foi retida sob a alegação de que seu cartão travelmoney, do Banco do Brasil, não tinha nenhum nome. As informações são do jornal Folha de S. Paulo.

De acordo com o jornal, a assessoria do banco informou que a ausência de nome é padrão desse tipo de cartão. Denise tentou comprovar a validade do cartão, disse ter mostrado extratos comprovando a compra de euros, ligou para o consulado brasileiro e, sete horas depois, recebeu o auxílio de uma tradutora e um advogado.

Ainda assim, sem ter provado que a reserva no hotel feita em nome de sua amiga serviria para ela também, Denise foi levada em um carro blindado para o avião, que a trouxe de volta ao Brasil. A embaixada espanhola informou ao jornal que checaria o caso nesta terça-feira.