Dilma diz que torce para que Egito seja um país democrático

 

A presidente da República, Dilma Rousseff, deu a sua primeira declaração sobre a crise política no Egito que entrou em seu sétimo dia. Manifestações populares pedem a renúncia do presidente Hosny Mubarak que está há trinta anos no poder, na esteira da onda de protestos no Oriente Médio.

“O governo brasileiro não pode ter posição a respeito do que acontece dentro de um país. Agora, o governo brasileiro, como qualquer governo do mundo, vê com expectativa a situação do Egito. Torce para que seja um país democrático que leve seu povo a ter todas as condições de desfrutar do desenvolvimento desse que é o país mais populoso do Oriente Médio”, disse a presidenta, na Base Aérea em Buenos Aires, antes de embarcar para o Brasil.