PR: 45 são denunciados por esquema criminoso em Detran

CURITIBA - O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Maringá (PR) ofereceu à Justiça denúncia criminal contra 45 pessoas acusadas de envolvimento em um esquema que promovia diversas irregularidades no Departamento Estadual de Trânsito (Detran) da cidade.

Entre as irregularidades estão a alteração indevida de informações do banco de dados do Detran, o cancelamento e transferência de multas de trânsito para evitar a suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) ou do Registro Provisório de Habilitação e a facilitação para aprovação de candidatos nos procedimentos necessários para obtenção da permissão para dirigir, como a prova escrita e os exames médicos e psicológicos.

Os acusados foram denunciados por corrupção ativa e passiva, advocacia administrativa, falsidade ideológica e inserção de dados falsos em sistema de informações, entre outros. Entre os denunciados estão funcionários públicos do Detran, proprietários de clínicas conveniadas ao órgão, diretores de autoescolas, o vice-prefeito de Ourizona, Amarildo Luiz Vieira (DEM), o Lulinha, e os próprios motoristas favorecidos pelo esquema.

Também foram denunciados profissionais liberais de clínicas conveniadas ao Detran, que, afirmou o MP, se omitiam diante dos crimes cometidos pelo esquema. Segundo a denúncia, o esquema era comandado por Aldair Fernandes da Silva, conhecido como Daco, funcionário público do Detran que repassava a outros servidores do órgão as pessoas que seriam favorecidas nos exames, realizados em clínicas conveniadas. Ele também manteria contatos com proprietários dessas clínicas, a fim de manipular resultados e assim atrair mais clientes.

Ainda de acordo com a denúncia, Daco manteve contatos com empresários e um político da região para angariar pessoas para o esquema, tanto para a obtenção irregular de CNHs quanto para alterar dados referentes a multas e infrações de trânsito.