MG: Justiça aceita denúncia contra 12 por morte de torcedor

O 2° Tribunal do Júri de Belo Horizonte recebeu nesta terça-feira a denúncia do Ministério Público (MP) contra 12 torcedores do Atlético-MG. Eles são acusados de participarem da ação que resultou na morte de um torcedor do Cruzeiro em novembro de 2010 após um evento de luta. Todos foram denunciados por homicídio e três tentativas de homicídio (na ocasião, outros três cruzeirenses foram agredidos). Entre os denunciados estão o presidente da torcida organizada Galoucura, Roberto Augusto Pereira, o Bocão, e Willian Palumbo, o Ferrugem, vice-presidente da torcida.

O crime ocorreu no dia 27 de novembro na saída de um evento de luta, em frente a uma casa de shows no bairro Savassi, em Belo Horizonte. Segundo imagens de uma câmera de segurança, o torcedor do Cruzeiro e integrante da organizada Máfia Azul Otávio Fernandes foi agredido por pisadas, chutes na cabeça e com uma placa de trânsito. Ele chegou a ser levado ao hospital, mas não resistiu.

Na decisão, o juiz determinou a citação e notificação dos réus para responderem à acusação, por escrito, no prazo de 10 dias. Sobre os pedidos de decretação de prisão preventiva de cinco denunciados que estavam soltos e de conversão das prisões dos outros sete denunciados, de temporária para preventiva, o juiz entendeu não haver argumentos concretos apresentados pelo MP. Assim, os eles irão responder ao processo em liberdade.

O juiz disse que o inquérito que acompanha a denúncia "ainda não esclareceu algumas circunstâncias envolvendo os fatos tratados". Ao determinar a expedição dos alvarás de soltura e o recolhimento dos mandados de prisão ainda não cumpridos, o juiz enfatizou que "no ato da soltura, os acusados deverão informar o endereço no qual poderão ser encontrados" e devem comparecer a todos os atos processuais para os quais forem intimados.