Joaquim Roriz é condenado a indenizar cabo eleitoral que ficou cego

BRASÍLIA - O ex-governador do Distrito Federal Joaquim Roriz (PSC) foi condenado na quinta-feira, em Brasília, a pagar uma indenização de R$ 112 mil por danos morais e materais a um cabo eleitoral que ficou cego após ser atingido no olho por uma bandeira, durante a campanha de Roriz em 1998.

A defesa do ex-governador alegou que o empregado exercia trabalho voluntário, sem vínculo empregatício. A sentença da juíza Sandra Nara Bernardes, titular da 10ª Vara do Trabalho de Brasília, reconheceu que havia relação de trabalho entre eles. O cabo eleitoral havia sido contratado por Roriz como coordenador de núcleo da campanha, recebia um pagamento semanal de R$ 250 e assinava folha de frequência.

A juíza destacou que, após o acidente, não houve emissão do Comunicado de Acidente de Trabalho (CAT) nem atendimento médico, o que ocorreu apenas seis dias depois. "A lesão progrediu e redundou em cegueira com aposentadoria por invalidez". A sentença determinou o pagamento de indenização por danos materiais, no valor de R$ 50 mil, e morais, no valor de R$ 35 mil, pelo prejuízo financeiro sofrido pela vítima. Além das indenizações pelos danos, Roriz deverá pagar as parcelas indenizatórias relativas ao acidente de trabalho.

A magistrada criticou a idolatria a políticos e identificou na vítima um "rorizista", o que, de acordo com a juíza, contribui para a ideia de que havia vínculo empregatício. "O cabo eleitoral é um rorizista, sem qualquer compreensão sobre comitês, partidos, aliança e frente".