Dilma diz que sua vitória demonstra maturidade da democracia

A presidente eleita, Dilma Rousseff, afirmou nesta sexta-feira, ao ser diplomada no Plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que sua vitória nas urnas "demonstra a crescente maturidade" da democracia brasileira. Dilma comparou a sua eleição à de Luiz Inácio Lula da Silva, que representava a mudança de rumo do País. "Foi esse mesmo sentimento de mudança e que fez o povo eleger agora uma mulher presidente", afirmou.

"Sem sombra de dúvida é uma imensa satisfação receber este diploma. É uma grande emoção tanto do ponto de vista da minha trajetória política como da minha situação como mulher brasileira", afirmou Dilma, que lembrou o desafio de dar prosseguimento às políticas de Lula. "Sei que há muitas expectativas, sei da responsabilidade de suceder um governante da estatura do presidente Lula", disse.

A presidente eleita elogiou o uso das urnas eletrônicas nas eleições, que serve de exemplo, segundo ela, para outros países. "O uso da tecnologia a serviço do sagrado direito do voto é uma invenção verde e amarela, que desperta o interesse de outras democracias", afirmou.

Durante os cerca de 7 minutos de seu discurso, Dilma garantiu que cuidará "da estabilidade econômica e do investimento". "Conto com todos e todas e todos e todas podem contar comigo", afirmou a presidente eleita, em um recado ao povo brasileiro.

A cerimônia de diplomação de Dilma e de seu vice, Michel Temer (PMDB), começou por volta das 17h20 e foi encerrada às 17h43 desta sexta-feira. A sessão solene foi aberta pelo presidente do TSE, ministro Ricardo Lewandowski.

A cerimônia era acompanhada por aproximadamente 250 convidados, entre autoridades, familiares e amigos. Destes, apenas 100 ocupam o Plenário, devido à limitação do espaço. Entre as autoridades presentes estavam os presidentes do Senado, José Sarney (PMDB-AP), da Câmara, Marco Maia (PT-RS), e do Supremo Tribunal Federal (STF), Cesar Peluso.

Dilma e Temer foram muito aplaudidos ao entrarem no Plenário do TSE. Em seguida, os presentes ouviram a execução do Hino Nacional. Pouco depois, Lewandowski leu o teor dos diplomas entregues a Dilma e Temer. "Pela vontade do povo brasileiro, expressa nas urnas em 31 de outubro de 2010, a candidata pela coligação 'Para o Brasil Seguir Mudando', Dilma Vana Rousseff, foi eleita presidente da República do Brasil. Em testemunho desse fato, a Justiça Eleitoral expediu-lhe o presente diploma, que a habilita à investidura no cargo perante o Congresso Nacional em 1º de janeiro de 2011, nos termos da Constituição", diz o diploma.