Anac se reunirá com empresas aéreas para evitar greve no Natal

BRASÍLIA - Para evitar a greve dos aeroviários e aeronautas, prevista para começar no dia 23 de dezembro, a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) vai se reunir com representantes das companhias aéreas e acompanhar as negociações entre empresas e funcionários. A determinação foi feita nesta quinta-feira pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim, após reunião com a presidente da Anac, Solange Vieira.

Segundo o ministro, no início do mês foi feito um plano de contingência para as operações de fim de ano com órgãos do setor de aviação civil. "Determinei à Anac redobrar o plano de contingência e vamos tomar algumas providências que estão sendo analisadas pelo setor jurídico para assegurar que não haja dificuldades. Estamos tomando todas as medidas para evitar incômodo aos nossos passageiros no final do ano", disse Jobim.

A última reunião entre aeroviários, aeronautas e empresas aéreas, realizada nesta quarta, terminou sem acordo. Os trabalhadores do setor reivindicam reajuste salarial de 13%, escala de trabalho reduzida, além de melhorias nas condições de trabalho. As empresas recusaram a proposta e mantiveram apenas a oferta de repor a inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), calculado em 6,08%.

Devido ao fracasso das negociações, os aeroviários e os aeronautas anunciaram em 1º de dezembro, uma operação-padrão nos aeroportos, seguindo estritamente as regras dos manuais das companhias, sem acelerar os procedimentos. Neste tipo de ação, os funcionários não devem fazer horas-extras e aceitar mudanças nas escalas de trabalho.

A operação começou no dia seguinte, 2 de dezembro, e não causou tumulto nos aeroportos. Os atrasos e cancelamentos, segundo a Infraero, ficaram abaixo da média.