PSOL recorrerá contra decisão que tirou Jean Willys da Câmara dos Deputados

BRASÍLIA - O presidente do PSOL no Rio de Janeiro, Jefferson Moura, afirmou, por meio de nota, que o partido recorrerá contra a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que tirou a vaga de Jean Willys (PSOL-RJ) para a Câmara dos Deputados. Willys recebeu 13.018 votos e havia ficado com a última vaga do Rio de Janeiro na Câmara.

O ministro Marco Aurélio Mello, do TSE, determinou a recontagem de votos no estado após decidir uma ação ajuizada pelo Partido Trabalhista do Brasil (PTdoB). O ministro decidiu dar para o partido os votos de 18 candidatos da legenda que concorreram com o registro negado, e logo, tiveram os votos anulados.

Com a recontagem, o quociente eleitoral do PTdoB mudaria e Cristiano José Rodrigues de Souza, que teve 29.176 votos, ficaria com a vaga de Willys. “Em nosso entendimento tal fato não se coaduna com o resultado democrático das urnas. A possibilidade de computar votos de candidatos impugnados ao quociente eleitoral, impossibilita a garantia do voto legitimado nas urnas”, afirmou o presidente do PSOL.

Para que Willys seja diplomado, a decisão de Marco Aurélio precisa ser revertida até o dia 16 de dezembro, data em que o Tribunal Regional Eleitoral do Rio de Janeiro (TRE-RJ) fará a diplomação dos eleitos no estado. A decisão do ministro abre precedentes para que outros partidos peçam recontagem dos votos.