Analfabetismo diminuiu mais na faixa de 15 a 64 anos, diz Ipea

BRASÍLIA - Segundo o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), na faixa etária de 15 anos ou mais houve redução do número absoluto de analfabetos de pouco mais de 1 milhão de pessoas em todas as regiões do país, de 2004 para 2009, representando uma queda de 7%. Em termos relativos, a taxa de analfabetismo caiu cerca de 1,8 ponto percentual, passando de 11,5% para 9,7%.

As regiões Norte e Nordeste registraram as maiores quedas, mas ainda foi insuficiente, segundo o Ipea, para diminuir significativamente as desigualdades inter-regionais. O analfabetismo no Nordeste entre pessoas de 15 anos ou mais é cerca de 3,4 vezes maior que o Sul.  

 

15 a 64 anos

A redução nesta faixa etária foi mais acentuada, diminuindo de 9,1% para 7,3%, o que corresponde a uma queda de quase 21%. Em números absolutos, o número de analfabetos caiu em 14%, ou seja, cerca de 1,5 milhão de pessoas deixaram esta condição.

O acesso aos programas de alfabetização de jovens e adultos na faixa de 15 a 64 anos foi maior, se comparados à de idosos, e a redução do analfabetismo entre esta faixa etária foi favorecida pelo ingresso de jovens alfabetizados e pela saída de pessoas analfabetas com mais de 60 anos. Essa redução ocorreu de forma mais equilibrada entre as regiões brasileiras.  

 

65 anos ou mais

A taxa de analfabetismo entre idosos reduziu de 34,4% para 30,8%. Entretanto, houve um aumento em números absolutos de 490 mil analfabetos. Tal crescimento se deve à mudança de faixa etária de pessoas analfabetas que se encontravam, em 2004, com idade entre 60 e 64 anos.