PB: falta de anestesista contribui para morte de menina engasgada

JOÃO PESSOA - A menina Mayanne Beatriz de Almeida, de um ano, morreu na segunda-feira, na Paraíba, engasgada com um caroço de feijão. Ela precisou ser submetida a uma broncofibroscopia, para o desengasgamento, mas não havia nenhum anestesista na ocasião no Hospital Regional de Campina Grande, onde a menina deu entrada, para realizar o procedimento. A broncofibroscopia só pode ser feita com o paciente anestesiado.

Os 28 anestesistas que prestavam serviço no hospital tiveram seus contratos cancelados no último sábado, e os três únicos profissionais concursados não estavam trabalhando na segunda-feira. O caso será investigado pelo Ministério Público Estadual.