Pesquisa do Ipea aponta desconfiança dos brasileiros na Justiça

O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) divulgou o resultado de um estudo sobre a percepção dos brasileiros em relação aos serviços públicos. Segundo o levantamento, os cidadãos não acreditam na honestidade da Justiça, nem que haja imparcialidade e rapidez nas decisões.

De acordo com a pesquisa do Ipea, aplicando uma escala de 0 a 4, a avaliação da honestidade da Justiça teve média de 1,17. A imparcialidade no tratamento dos cidadãos e a rapidez na decisão dos casos tiveram nota 1,18.

O estudo também apontou a percepção das pessoas sobre o custo e a facilidade do acesso à Justiça, que tiveram notas 1,45 e 1,48, respectivamente, e sobre a dimensão da capacidade de produção de boas decisões e de resolução justa de conflitos, com nota 1,60.

Quando avaliada de maneira geral, a Justiça recebeu nota 4,55 numa escala de 0 a 10. Comparando os resultados por região, o Ipea apontou nota geral de 5,27 no Norte e 5,30 no Centro-Oeste. No Nordeste, a nota foi 4,70; no Sul, 4,26; e no Sudeste, 4,07.

A pesquisa também avaliou a percepção nos casos em que os entrevistados já tiveram processos tramitando em alguma instância judiciária. As pessoas que tiveram ações na Justiça como proponentes atribuíram ao serviço nota 3,79. No caso dos réus, a média foi de 4,43. Aqueles que nunca tiveram processo tramitando no Judiciário deram nota 4,86. A escala, nesses casos, varia de 0 a 10.

Foram entrevistadas 2.770 pessoas nas cinco regiões do país. A margem de erro da pesquisa é de 5% e o grau de confiança é de 95%.