Presidente do PT diz que superbloco do PMDB não afeta base

O presidente do PT, José Eduardo Dutra, minimizou o risco de "racha" na base aliada, após o PMDB ter formado um bloco com o PP, PR, PTB e PSC. Um dos coordenadores da equipe de transição do futuro governo, Dutra disse que a presidente eleita, Dilma Rousseff (PT), vai trabalhar para manter a unidade da base.

Segundo Dutra, "movimentações de partidos são naturais". Na opinião do político, a formação de bloco tem mais mais a ver com a divisão de forças na Câmara e no Senado do que com a definição dos assuntos do Executivo.

"Estamos trabalhando para evitar qualquer tipo de questão, conversando com todos os líderes, independentemente dos blocos, porque eles dizem respeito à ocupação de espaços no parlamento. Não significa necessariamente que a definição de assuntos do Executivo passe por esses blocos", disse o presidente do partido.

Dutra afirmou também que o Partido dos Trabalhadores mantém a posição de não criar uma disputa interna com o PMDB para as eleições das mesas da Câmara e do Senado. No entanto, ele espera que a tradição das duas casas seja mantida e presidências fiquem com os partidos com as maiores bancadas.

Sem entrar em detalhes, Dutra disse que apresentou nesta segunda-feira à presidente Dilma uma síntese das reivindicações dos partidos aliados para ocupar cargos no governo. "Em resumo, todos os partidos querem manter os espaços atualmente ocupados. E, na medida dos possível, ampliar alguma coisa", concluiu.