Polícia de Alagoas registra assassinato de 32º morador de rua

A Polícia Civil de Alagoas registrou nesta o assassinato do 32º morador de rua, desde maio, quando trinta mendigos foram mortos ainda sem motivos esclarecidos.

Identificada como Monique Camila dos Santos, 21, a jovem foi morta a tiros, na bairro Vergel do Lago, periferia da capital. Maria Nazaré da Silva, mãe de Monique, disse a polícia que a filha morava na rua desde o início do ano e que por ser viciada em drogas, deixou a família.

A polícia ainda investiga as causas do crime, que pode ter relação com o uso de entorpecentes e com uma eventual cobrança de dívidas contraídas.

Recentemente as autoridades alagoanas buscaram auxílio da Polícia Federal e até mesmo de perítos da polícia britânica, a Scotlan Yard, para se descobrir as motivações reais dos crimes. A falta de documentos das vítimas dificultam a resolução da tragédia.

Uma das hipóteses levantadas pelo secretário nacional de Segurança Pública, Ricardo Balestreri, era que a ação seria feita por policiais com o objetivo de "exterminar" os sem-tetos das ruas da capital alagoana.

O delegado Geral da Polícia Civil, Marcílio Barenco, chegou a admitir a participação de policiais na trama.

Na semana passada, uma pessoa foi presa, acusada de matar dois moradores de rua.