Justiça mantém presos ex-policiais acusados de liberar atropelador de Rafael

Os ex-policiais militares Marcelo Bigon e Marcelo Leal, acusados de cobrar R$ 10 mil de propina para liberar Rafael Bussamra, que atropelou Rafael Mascarenhas - filho da atriz Cissa Guimarães, morto em julho no Rio de Janeiro-, teve o pedido do habeas corpus indeferido pelo Tribunal de Justiça do Rio no dia 4 de novembro. Segundo o TJ-RJ, os policiais continuam presos.

O filho mais novo da atriz Cissa Guimarães, Rafael Mascarenhas, 18, foi atropelado e morreu no dia 20 de julho. Ele andava de skate com mais dois amigos no Túnel Acústico, na Gávea, zona sul do Rio. Na ocasião, o túnel estava fechado para manutenção e os amigos aproveitaram para praticar o esporte. Rafael Bussamra, que atropelou o jovem, foi abordado por PMs que pediram propina para não levar o caso adiante.

O atropelador foi denunciado no início de setembro pelo Ministério Público por cinco crimes: homicídio doloso (com intenção), corrupção ativa, fuga, pega e alteração de prova. Somadas as penas, ele pode ser condenado a 36 anos de prisão.