Advogada pede exoneração da equipe de transição

Christiane Araújo é acusada de envolvimento com a máfia dos sanguessugas

BRASÍLIA - Acusada de envolvimento com a chamada máfia dos sanguessugas, a advogada Christiane Araújo de Oliveira, 30 anos, entregou nesta quinta-feira seu pedido de exoneração da equipe de transição do governo. De acordo com a assessoria da transição, o pedido de exoneração foi aceito e será publicado amanhã (12) no Diário Oficial.

Christiane de Oliveira foi denunciada em 2008 pelo Ministério Público Federal sob acusação de envolvimento no esquema que envolvia fraudes em licitações para a compra de ambulâncias por prefeituras. O nome dela, e de outras 12 pessoas, tinha sido divulgado no Diário Oficial de ontem, na lista de novos integrantes da equipe de transição do governo.

A lista era a seguinte: Sinval Alan Ferreira da Silva, Ana Lúcia Ferreira dos Santos, Ênio Alves Vieira Filho, Georgina Fagundes, Jorge Luiz de Lima, Márcia Westphalen, Roberto França Stuckert Filho, Arílson Cavalcante Pereira, Christiane Araújo de Oliveira, Valdecir da Silva Ribeiro, Hildivan Freitas Ribeiro, Thaís Beserra de Andrade e Vanessa Rossana Vieira Maia.

O Diário Oficial da União também publicou na edição desta quinta-feira a lista de mais cinco nomeados para integrar a equipe de trabalho do governo de transição: Catherine Fátima Alves, Gabriela Fatel de Carvalho, Marcia Brandão Raposo, Maria da Solidade de Oliveira Costa e Rosária de Fátima do Carmo.

Os nomes divulgados ontem e hoje vão se juntar à equipe anunciada na segunda-feira: Clara Levin Ant, assessora licenciada da Presidência que trabalhou na campanha de Dilma; Cleonice Maria Campos Dorneles, ex-assessora do gabinete da Casa Civil e Helena Maria de Freitas Chagas, ex-diretora de Jornalismo da Empresa Brasil de Comunicação (EBC).