Sete prefeitos baianos são presos suspeitos de fraudar licitações

A Polícia Federal (PF), atuando em conjunto com a Controladoria-Geral da União (CGU) e o Ministério Público Federal (MPF), prendeu os prefeitos de sete cidades do interior da Bahia. Eles são suspeitos de fraudar licitações e desviar dinheiro público. Além deles, foram detidas mais 32 pessoas.

Segundo a PF, as cidades são: Itatim, Elísio Medrado, Aratuípe, Lençóis, Cafarnaum, Utinga e Santa Terezinha. A Operação Carcará, como está sendo chamada, apreendeu documentos, automóveis e expediu mandados de busca e apreensão para 20 cidades da Bahia. O prejuízo, conforme a CGU, chega a R$ 60 milhões. O número de prisões pode aumentar nas próximas horas. Os detidos serão levados à sede da PF no Estado.

A investigação teve início a partir de uma denúncia sobre a ocorrência de possíveis crimes relacionados a procedimentos envolvendo a empresa Sustare Distribuidora de Alimentos e outras vinculadas ao grupo comandado por Edison dos Santos Cruz, que tem como atividade o fornecimento de merenda escolar. Foi constatada uma organização criminosa nas empresas que diversificaram os ramos para o fornecimento de medicamentos e obras públicas. A divisão de mercados ocorreu a partir de licitações utilizando notas fiscais frias ou pelo superfaturamento dos preços praticados pelas empresas investigadas.

Segundo a Comunicação Social da Polícia Federal na Bahia, todo o material apreendido será analisado pela Polícia Federal e pela CGU para apresentar um relatório conclusivo ao Ministério Público Federal.