Caixa justifica compra e indica representantes no Panamericano

A Caixa Econômica Federal divulgou uma nota na tarde desta quarta-feira (10), justificando a compra do banco PanAmericano e detalhando os procedimentos formais para que ela fosse feita. As ações do banco caíram 26,3% neste ano, segundo a Bovespa. A CEF, no entanto, alega que a compra só foi realizada após o parecer favorável do Banco Central.

"(A parceria) proporcionará a ampliação da sua base de clientes, em razão da capacidade de relacionamento do Banco Panamericano com seus mais de 20 mil canais de venda e suas 200 lojas próprias, permitindo, assim, o aumento da capacidade operacional de geração de crédito e a implementação de um modelo de negócio aderente aos objetivos e às políticas de mercado da CAIXA". - justificou a CEF em nota.

Conforme previsto no acordo firmado entre os acionistas, por intermédio da Caixa Participações (CAIXAPar), a CEF passa a ter representantes na Diretoria do Banco Panamericano. "Após as formalidades legais, a instituição financeira passará também a compor o Conselho de Administração, o Conselho Fiscal e o Comitê de Auditoria", afirma a Caixa Econômica Federal na nota.

A caixa detêm 49% do total das ações ordinárias e 36,56% de participação no capital total do Banco Panamericano. Na nota, a instituição afirma ainda que "o aporte de recursos realizado pelo Grupo Silvio Santos, para assegurar o equilíbrio patrimonial e ampliar a liquidez operacional do Banco Panamericano, permitiu que não houvesse qualquer tipo de prejuízo aos sócios, clientes e colaboradores do banco".