AGU vai enviar informações técnicas à juíza que suspendeu o Enem

Intenção é convencê-la a rever sua posição

A Advocacia-Geral da União (AGU) vai enviar amanhã (11) informações técnicas à juíza Karla Miranda Maia, da 7ª Vara Federal do Ceará, que determinou a suspensão das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) aplicadas no último fim de semana. A intenção é tentar convencê-la a rever sua posição antes que o órgão envie um agravo de instrumento recorrendo da decisão, conforme foi anunciado ontem.

Vinte e um mil cadernos de prova amarelos apresentaram erro de montagem e não continham todas as 90 questões aplicadas no sábado  (6). Não se sabe ainda quantos candidatos foram prejudicados pelo problema, e o MEC vai aplicar novas provas para esse grupo de estudantes. Para a juíza, entretanto, a solução não garante a isonomia entre os concorrentes.

Ontem o advogado-geral da União, Luís Inácio Lucena Adams, disse que o princípio da isonomia está garantido no caso de reaplicação do Enem, já que a metodologia utilizada na prova, a Teoria de Resposta ao Item (TRI), permite elaborar testes com o mesmo grau de dificuldade, ainda que as questões sejam diferentes. 

O ministro da Educação, Fernando Haddad, descartou a necessidade de anular o Enem. O Ministério da Educação (MEC) está levantando o número exato de estudantes que foram prejudicados pelos erros. A estimativa inicial é que a falha teria atingido 2 mil candidatos.