Ex-motorista de Bruno muda depoimento e diz que já conhecia Eliza

Belo Horizonte - Terminou por volta das 13h30 depoimento do Flávio Caetano de Araújo, conhecido como Flavinho, que trabalhava como motorista para o ex-jogador do Flamengo Bruno e sua mulher, Dayanne. Durante a audiência, o acusado no envolvimento da morte de Eliza Samudio mudou parte do depoimento que dera anteriormente, em que dizia que nunca havia visto Eliza. O motorista de Bruno afirmou que durante o interrogatório policial perguntaram apenas se ele sabia quem era uma mulher de nome Eliza e, apenas depois de ver fotos dela na imprensa, concluiu que a tinha visto antes, uma vez, no dia 8 de junho. Nesta data, Flavinho a viu tomando sol com o filho, na beira da piscina do sítio de Bruno, em Esmeraldo.

Durante o depoimento, Flavinho afirmou que Luiz Henrique Romão, conhecido como Macarrão, foi quem mandou que o bebê de Eliza fosse entregue para a mulher de nome Julia, moradora do bairro Liberdade em Ribeirão das Neves. Julia é namorada de Cleiton da Silva Gonçalves, que também é amigo de Bruno.

Flavinho explicou que na noite do dia 25 de junho, ele levou Dayanne com as duas filhas e o bebê de Eliza ao sítio de Bruno, em Esmeraldas, região metropolitana de Belo Horizonte, e depois os levou para a casa da mãe de Dayanne, na região da Pampulha, em Belo Horizonte.

Conforme o depoimento à juíza Marixia Fabiane, após deixar Dayanne no local, ele foi embora. Pouco tempo depois, Flavinho teria recebido uma ligação de Dayanne que pediu para encontrá-lo na região da Ceasa, na BH 040, em Contagem.

Ao encontrar Dayanne, ela teria dito a ele que Macarrão havia ligado do Rio de Janeiro e pedido para esconder a criança. Eles, então, seguiram para o bairro Liberdade, em Ribeirão das Neves.

O outro amigo de Bruno, Wemerson Marques de Souza, conhecido como Coxinha, também estava no carro. No trajeto, Macarrão teria ligado novamente em seu celular e pedido para que ele passasse o telefone para Coxinha.

Flavinho teria ouvido Macarrão dizer que era para entregar o bebê à Julia. Quando chegaram à casa de Cleiton, Julia, Coxinha, Cleiton e Dayanne conversaram cerca de dez minutos. Segundo o motorista de Bruno, ele teria ficado no carro e não ouviu o teor da conversa. Em seguida, Julia teria concordado em ficar como bebê e eles seguiram para a casa dela, em um bairro vizinho.