Comissão do Senado aprova convite para Haddad falar sobre erros no Enem

BRASÍLIA - A Comissão de Educação, Cultura e Esporte do Senado aprovou o requerimento convidando o ministro da Educação, Fernando Haddad, a prestar esclarecimentos sobre os problemas na prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). O requerimento foi apresentado pela senadora Marisa Serrano (PSDB-MS) e pelo líder do governo no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR).

Jucá informou que conversou com o ministro Haddad e disse que na próxima semana ele estará à disposição para ir à comissão prestar os esclarecimentos necessários. “O Ministério da Educação já está levantando todos os dados sobre o Enem. O ministro está disposto a dar todos os esclarecimentos ao Senado e a todo o país.”

A senadora Marisa Serrano disse esperar que desta vez o ministro compareça à comissão, porque da última vez em que foi chamado, quando houve o vazamento das questões da prova de 2009, quem compareceu foi o presidente do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), na época, Reynaldo Fernandes.

“O Enem está com falhas estruturais e logísticas que precisam ser reparadas. Estamos defendendo os 4 milhões de alunos que estão fazendo a prova. Somos a favor do Enem, temos falado isso sempre, mas é preciso resolver essa questão de competência”, afirmou a senadora.

O Ministério da Educação (MEC) está levantando o número exato de estudantes que foram prejudicados por um erro de montagem nos cadernos de prova amarelos. Segundo o MEC, o erro foi localizado em um lote de 21 mil provas, mas havia cerca de 370 mil cadernos sobressalentes que poderiam ser trocados pelos fiscais no momento em que o candidato percebeu o erro. O MEC está apurando com o consórcio responsável pela aplicação do exame o total de participantes que não teriam recebido uma nova prova.