Ex-diretor dos Correios é condenado a pagar multa milionária

O ex-diretor de Administração dos Correios, Antonio Osório, e o ex-servidor Maurício Marinho foram condenados nesta quarta-feira pelo Tribunal de Contas da União (TCU) ao pagamento de multas por irregularidades em um contrato para compra de equipamentos de informática em 2003. Antonio Osório terá que pagar R$ 1,5 milhão; Maurício Marinho, R$ 35 mil.

Eles foram denunciados pelo Ministério Público (MP) por formação de quadrilha e corrupção passiva após denúncia da revista Veja, que em 2005 publicou reportagem mostrando que Marinho recebia propina em troca de manipulação de licitações dentro dos Correios. Conforme o TCU, o ex-diretor e o servidor permitiram, de forme irregular, que as empresas NovaData e Positivo aumentassem em R$ 5,5 milhões um contrato de manutenção e venda de computadores para as lojas dos Correios.

A alegação de Osório e Marinho foi de que o câmbio havia subido. O relator do TCU, ministro Walton Alencar, não aceitou a defesa dos dois e afirmou que a variação cambial era fator de risco para as empresas, que tinham como se proteger. Além das multas individuais para Antonio Osório e as empresas NovaData e Positivo, os três terão que devolver os R$ 5,5 milhões que foram pagos no reajuste com correção monetária desde 2004.

Maurício Marinho foi condenado por supostamente ter dificultado a fiscalização do contrato. Após a divulgação da fraude, em 2005, o então presidente do PTB, Roberto Jefferson, denunciou a existência de um mensalão no governo. Os dois, que ainda podem recorrer no TCU e na Justiça, eram indicações políticas de Roberto Jefferson.