PR: grupo ligado ao PCC é preso após roubo a lotérica

 

        CURITIBA - A Polícia Federal informou nesta terça-feira que sete pessoas foram presas em uma operação desencadeada após o assalto a uma lotérica em Curitiba, no último dia 4, em episódio que deixou um policial federal morto. Outros dois suspeitos de envolvimento com o bando foram mortos em um confronto em uma chácara. Segundo a PF, entre os detidos estão integrantes da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC).

A polícia chegou à chácara após o estudante de Direito Douglas Cândido Rodrigues, 23 anos, preso no dia do assalto, informar que haveria uma festa em Fazenda Rio Grande com pelo menos dois dos envolvidos no roubo à lotérica. Os bandidos foram surpreendidos na noite de 9 de outubro, quando a PF invadiu o local. Dois suspeitos morreram e quatro foram detidos. O líder do bando, identificado como "Carioca" pela polícia, conseguiu fugir, mas foi preso no dia seguinte. Foram apreendidas sete pistolas, veículos e documentos falsos.

Na tarde de segunda-feira também foi presa Franciele Alcantara, 20 anos, funcionária da lotérica. Com a prisão de Franciele, todos os envolvidos no assalto à lotérica estão presos, segundo a PF. Cinco homens e duas mulheres responderão pelo crime de latrocínio (roubo seguido de morte), cuja pena mínima é de 20 anos de prisão.