Homicídio de sindicalista será acompanhado por dois promotores em São Paulo

 

A Procuradoria-Geral de Justiça designou, nesta terça-feira, os promotores de Justiça Flávio Farinazzo Lorza e Ivandil Dantas da Silva para acompanharem o inquérito policial que investiga o assassinato de Sérgio Augusto Ramos, diretor do Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo, ocorrido na manhã desta segunda-feira. Os dois promotores atuam no III Tribunal do Júri de Santo Amaro.

Sérgio Ramos foi morto a tiros na madrugada desta segunda-feira na zona sul da cidade. De acordo com a polícia, ele foi atingido em frente à garagem da empresa de ônibus onde trabalhava. A Polícia Militar informou que os tiros partiram de um homem que chegou em uma moto e disparou várias vezes contra o sindicalista. Ele chegou a ser socorrido e levado para um hospital da região, mas não resistiu aos ferimentos. A polícia não tem pistas sobre o autor do crime. Sérgio denunciou um suposto esquema de corrupção dentro do sindicato e por isso teria sido morto.

Nesta terça, os funcionários da Viação Itaim Paulista, que opera linhas entre a zona sul e a região central de São Paulo, fizeram uma paralisação como protesto pela morte do sindicalista. Milhares de passageiros foram afetados e o serviço só foi normalizado por volta das 14h. De acordo com a SPTrans, que opera o sistema de transporte coletivo na Grande São Paulo, o ato teve início por volta das 3h30 e tirou de circulação pelo menos 500 ônibus.