TJ-SP mantém habeas-corpus a acusados de matar Mércia

     SÃO PAULO - O Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP) concedeu nesta quarta-feira habeas-corpus ao advogado e ex-policial militar Mizael Bispo de Souza e ao vigia Evandro Bezerra da Silva, acusados pelo homicídio da advogada Mércia Nakashima. Por dois votos a favor e um contra, a 12ª Câmara Criminal do TJ-SP confirmou liminar que havia sido concedida pela relatora do processo, desembargadora Angélica de Almeida, em 5 de agosto.

De acordo com a decisão, a presença de indícios de autoria e materialidade do fato ou a gravidade do delito não bastam para a decretação da prisão, que se mostraria imprescindível para assegurar o andamento regular do processo. Votaram a favor da manutenção do habeas-corpus a relatora Angélica de Almeida e o desembargador Vico Mañas, tendo o desembargador Eduardo Pereira o voto vencido.

O caso
A advogada Mércia Nakashima, 28 anos, desapareceu no dia 23 de maio e foi encontrada morta no dia 11 de junho em Nazaré Paulista, no interior de São Paulo. Ela teria sido assassinada pelo ex-namorado e policial aposentado, Mizael Bispo de Souza, que não aceitaria o fim do relacionamento. Rastreamento de chamadas telefônicas feito pela polícia com autorização da Justiça colocariam os dois na cena do crime, de acordo com as investigações. Mizael e o vigia Evandro Bezzerra Silva são considerados pela Polícia Civil os principais suspeitos do crime. Eles negam as acusações.