Sarney descarta presidir Senado em 2011: 'já dei minha cota'

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), voltou ao trabalho legislativo nesta quarta-feira após passar 11 dias internado no Hospital Sírio-Libanês para controlar uma arritmia cardíaca. Sarney descartou a possibilidade de ser novamente presidente da Casa no próximo biênio. "Já dei a minha cota de sacrifício", afirmou.

Sobre a possibilidade de o senador recém-eleito por Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), se tornar o novo presidente do Senado, Sarney passou a responsabilidade da decisão para a próxima legislatura. "Quem tem que decidir são os senadores", disse.

Sarney admitiu que o Senado não terá votações antes do segundo turno das eleições, no próximo dia 31. Uma reunião de líderes estava marcada para esta quarta-feira na tentativa de decidir a pauta de votações das próximas semanas, mas a reunião foi cancelada por falta de quórum na Casa.

"Acho que ainda estamos num período eleitoral, os senadores estão engajados nas lutas locais, é evidente que é compreensível a ausência deles na Casa", afirmou.