Delegado e advogado de Mizael discutem em audiência em São Paulo

O advogado de Mizael Bispo de Souza, Samir Haddad Júnior, e o delegado Antonio Olim, que presidiu o inquérito policial, debateram durante o depoimento de Olim no fórum de Guarulhos. O juiz Leandro Jorge Bittencourt Cano teve que interromper mais de uma vez a audiência para manter a ordem.

"O advogado queria tumultuar as investigações", afirmou Olim, quando Samir questionou se todas as denúncias recebidas haviam sido averiguadas. Segundo o delegado, muitas informações falsas chegaram à polícia durante as investigações e algumas, investigadas. "Só no final, quando já existia a certeza de que Mizael era o autor do crime, é que as investigações foram concentradas nele", disse Olim.

Após a sessão de segunda-feira no Fórum de Guarulhos, Samir havia classificado Olim como a testemunha mais importante da defesa e prometeu surpresas na audiência de hoje. "O delegado é peça-chave" afirmou Samir, mesmo sabendo que o delegado afirma ter certeza de que Mizael é o autor do assassinato de Mércia Nakashima.

Em seguida, na audiência, Olim e o advogado Ivon Ribeiro trocaram mais provocações. O advogado questionou porque informações contidas no rastreador do carro não estavam presentes no laudo desenvolvido pelo delegado. Segundo Ribeiro, algumas ruas em que Mizael passou não constavam no documento. Também disse que o tempo do trajeto de retorno da represa à casa de Mizael é maior do que os 30 minutos colocados.

Olim não explicou o porquê que as ruas que contavam no rastreamento não foram discriminadas por ele, e reafirmou que a duração é a que consta no laudo. O delegado repetia seguidas vezes "faça uma pergunta: o que o senhor quer saber", interrompendo o advogado. Ainda disse que Ribeiro falou, mas não perguntou nada. Por sua vez, o advogado apresentou fatos que apontavam falhas e falta de informações no documento elaborado pelo doutor Olim.

O juiz mais uma vez interrompeu a discussão e disse "a audiência não é palco para debates". O depoimento do doutor Olim começou às 14h20 e terminou às 16h25. Na saída, Olim foi cumprimentado pelos populares que o saudaram com palmas e elogios.

Após a conversa de Ribeiro com Olim, o advogado se retirou e retornou cerca de 20 minutos depois.