Itamaraty confirma identidade de brasileira encontrada morta em Nova York

     BRASÍLIA - O Ministério das Relações Exteriores confirmou a identidade da brasileira Gisela Andrade, de 32 anos, encontrada morta em Mount Vernon, no norte de Nova York. Ela estava dentro de um SUV Toyota, estacionado a apenas 30 metros de um posto policial, localizado na última terça-feira.  O carro está em nome do namorado de Gisela, que também é brasileiro.

Gisela era diabética, estava grávida de quatro meses e tinha desaparecido no dia 25 de setembro. Exames preliminares indicaram que ela teria morrido por uma overdose de insulina - substância usada por diabéticos para controlar o nível dessa substância no sangue.

Ao sair de uma reunião com policiais, um detetive viu o carro de Gisela e identificou a placa na lista de desaparecidos. A polícia informou que no dia em que desapareceu, ela teve uma "discussão verbal" com o namorado, mas ressaltou que não havia sinal de trauma em seu corpo.

Um policial disse ainda que a brasileira deixou um bilhete para a tia, informando que estava deprimida e pedindo que ela cuidasse de seus gatos. O delegado afirmou que não havia registro de violência doméstica na casa dos dois brasileiros e que o namorado não é considerado suspeito.