Prêmio da Mega é 8,5 vezes o orçamento do município do sortudo que levou R$ 119 mi

       PORTO ALEGRE - A pequena cidade de Fontoura Xavier, no norte do Rio Grande do Sul, acordou diferente nesta manhã de quinta-feira. Na prefeitura, o assunto do dia era um só: descobrir o nome do mais novo milionário brasileiro que ganhou o segundo maior prêmio da história da Mega-Sena. A funcionária pública Ana Silveira, 29 anos, disse só ter acreditado na notícia depois de entrar no site da Caixa Econômica Federal. "Todo mundo só fala nisso. Eu não levava fé. Depois que vi os números pensei diferente", conta.

Com R$ 119 milhões, o sortudo fontourense poderia mudar a realidade local. O valor é equivalente a 8,5 vezes o orçamento anual do município, que é de R$ 14 milhões. É como se em uma única vez, uma pessoa tivesse em mãos a receita da prefeitura de quase 9 anos. De olho na bolada, o prefeito do município, José Flávio Godoy da Rosa (PT), já faz planos para o mais rico dos moradores da cidade.

"Ele podia apostar na geração de renda. Aplicar o dinheiro aqui. Investir em algum negócio que empregasse", diz. Além de clamar por investimentos do sortudo, ele também sonha com sua generosidade. Em janeiro deste ano, Fontoura Xavier sofreu por causa de temporais que destruíram lavouras, estradas e pontes que cortam seu território. Pelo menos duas importantes travessias caíram e até hoje não foram reconstruídas.

"As pontes para Barros Cassal e Progressso (cidades vizinhas) se perderam com a chuva. Isso prejudica nossa economia e o trânsito de pessoas. Bem que este novo milionário podia colaborar", brincou o prefeito. O custo para fazer as duas obras é estimado pela prefeitura em R$ 8 milhões, apenas 7% do dinheiro ganho pelo apostador da loteria.

Dos 11,5 mil habitantes de Fontoura Xavier, pelo menos metade vive na zona rural. Com economia baseada na agricultura, sobretudo na produção de fumo e na plantação de eucaliptos, tem um Produto Interno Bruto (PIB) estimado em R$ 81 milhões.