Pai de Joanna diz que filha apresentava distúrbios emocionais

O pai da menina Joanna Cardoso Marcenal Marins, 5 anos, que morreu em agosto após ficar quase um mês em coma, deu uma entrevista coletiva na tarde desta quinta-feira. André Marins falou sobre o laudo do Instituto Médico Legal (IML), divulgado na quarta-feira, que apontou meningite como a causa da morte da menina. Ele afirmou que quando Joanna foi morar com ele, em maio deste ano, já apresentava distúrbios emocionais. As informações são do RJTV.

André é acusado pela ex-mulher, Cristiane Marcenal, de ser responsável pela morte de Joanna, já que ela apresentava hematomas e queimaduras pelo corpo. "O laudo é conclusivo no sentido de não reconhecer nenhuma relação da causa da morte da minha filha com supostos maus-tratos que pudessem ter ocorrido", afirmou o pai. André afirmou que a menina se machucava sozinha, por causa das convulsões que sofria.

 

Entenda o caso

Joanna morreu no início da tarde do dia 13 de agosto, sexta-feira, no Hospital Amiu, em Botafogo, na zona sul, onde estava internada em coma desde o dia 19 de julho. Segundo o hospital, a menina sofreu uma parada cardíaca.

A menina foi internada no CTI do hospital da zona sul com um edema cerebral, hematomas nas pernas e sinais de queimaduras nas nádegas e no tórax, segundo parentes. A suspeita era que ela teria sido espancada e torturada pelo pai. O caso foi levado para a Delegacia da Criança e Adolescente Vítima (Dcav).

Na investigação, a polícia descobriu que a menina havia sido atendida em outro hospital, o Rio Mar, na zona oeste, onde um falso médico teria dado alta a ela quando ainda estava desacordada. Ele foi identificado como um estudante do 5º período de Medicina.

Em depoimento, o estudante afirmou que havia sido contratado por Sarita Pereira, que teria uma clínica que prestava serviços ao Rio Mar. Ainda segundo a polícia, Souza afirmou que a mulher forneceu a documentação e o carimbo com nome e a inscrição no Conselho Regional de Medicina (CRM) de um médico para que ele usasse nos atendimentos.