Contraf diz que 18 morrem em assaltos a banco em 2010

Somente em 2010, 18 pessoas foram mortas em assaltos a bancos no País. Os dados foram divulgados nesta quarta-feira pela Confederação Nacional dos Trabalhadores do Ramo Financeiro (Contraf-CUT). A garantia de mais segurança nas agências faz parte das exigências dos bancários que estão em greve a oito dias.

Entre as vítimas, estão sete vigilantes, um bancário e seis clientes, entre outras pessoas. Os casos ocorreram em São Paulo, Rio Grande do Sul, Pará, Rio de Janeiro, Pernambuco, Parabá, Minas Gerais, Bahia, Maranhão e Distrito Federal. Dentre as ocorrências, sete crimes são conhecidos como saidinha de banco, quando os assaltantes combinam por telefone quem é a vítima e atacam na saída da agência.

Segundo o presidente da Contraf-CUT Carlos Cordeiro "a ação dos bandidos começa dentro das agências e, por isso, esse crime não é somente um problema de segurança pública como tentam justificar alguns bancos, mas é um golpe que também precisa ser enfrentado por eles, através do reforço dos equipamentos de prevenção", afirmou.

Cordeiro disse que é importante ampliar os investimentos em segurança nas agências. "Os bancos precisam tomar procedimentos que dificultem a visualização das operações dos clientes nos caixas, como a instalação de biombos, além de portas de segurança com detectores de metais, câmeras de filmagem, divisórias individualizadas entre os caixas e vidros blindados nas fachadas", afirmou o presidente da Contraf.