Três cidades estão em situação de emergência devido à chuva, em Mato Grosso do Sul

A prefeitura de Dourados (MS) foi a terceira a decretar situação de emergência devido à chuva do final de semana, que causou estragos na cidade. O município se soma a Naviraí (que decretou situação de emergência na segunda-feira) e Três Lagoas (que entrou na terça-feira). De acordo com a Defesa Civil do Estado, as cidades de Ponta Porã, Corumbá, Anaurilândia e Bataguassu estudam a possibilidade de também decretarem situação de emergência.

"O quadro tem se agravado. Os prejuízos continuam sendo registrados porque a chuva não para. A zona rural é de acesso muito difícil e a chuva não tem contribuído para realizarmos atendimentos", afirma o coordenador municipal de Defesa Civil de Dourados, João Vicente Chencarek.

De acordo com o coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Ociel Ortiz Elias, a o órgão espera o documento de levantamento de danos de Navirai para viabilizar recursos federais junto ao Ministério da Integração Nacional para obras de recuperação na cidade. A Defesa Civil também deve encaminhar cestas básicas, colchões, lonas e telhas que foram solicitadas pela prefeitura. Conforme levantamento informado para o Estado, o município teve 1,4 mil casas atingidas pelos temporais. A cidade pediu ao governo cerca de R$ 2 milhões para aquisição de telhas.

Em Três Lagoas, onde dois morreram, 160 pessoas de 80 famílias estão sob a custódia da prefeitura municipal. "A Defesa Civil Municipal já encaminhou requerimento para que seja viabilizado cerca de R$ 4 milhões para a recuperação dos estragos", disse o coronel. Três escolas, postos de saúde, uma clínica de atendimento médico e uma clínica da mulher tiveram estragos causados pelas chuvas.

A Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) ainda aguarda relatórios de outros municípios prejudicados. Cerca de 40 casas teriam sido atingidas em Ponta Porã. Em Batayporã, chuvas de mais de 200 mm levaram problemas à zona rural e fizeram transbordar uma lagoa, provocando inundação no perímetro urbano. Em Bataguassu também houve problemas nas estradas. Outras cidades afetadas foram Santa Rita do Pardo, Anaurilândia, e Corumbá - que ainda não enviou formalmente a documentação à Cedec com a conclusão dos levantamentos.