Ex-assessor da Casa Civil permanece calado em depoimento à PF

Brasília - O advogado Emiliano Aguiar orientou seus clientes Vinicius Castro e Sônia Castro a permanecerem calados durante o depoimento à Polícia Federal nesta quarta-feira (29). Vinicius e Sônia, filho e mãe, são acusados de envolvimento em um suposto tráfico de influência na Casa Civil.

 

"Eu aconselhei meus clientes a, nesse momento inicial, permanecerem em silêncio, porque não é possível saber qual é a motivação política dessas personagens que passaram informações para a imprensa. Nesse momento, o melhor para a defesa é esperar se desenhar o cenário e as investigações avançarem", disse Aguiar. O advogado disse que a intenção é "evitar a distorção da verdade". Questionado se o momento ao qual se referiu teria relação com a realização das eleições, negou, dizendo que se referia apenas ao momento inicial das investigações. "Meus clientes continuam convictos de que não fizeram nada errado", afirmou.

 

Vinicius pediu exoneração do cargo de assessor da pasta após a divulgação das denúncias e Sônia seria 'laranja' da empresa que teria feito lobby a favor de empresas privadas junto a órgãos do governo.