Promotor: Suzanne diz que pai de Cravinhos planejou mortes

SÃO PAULO - O promotor Eliseu José Berardo Gonçalves afirmou, na noite deste domingo, ao programa Fantástico, que Suzanne von Richthofen teria lhe dito que mais uma pessoa participou do assassinato do casal Marisia e Mandred Von Richthofen em 2002. Seria Astrogildo Cravinhos, pai de Daniel e Christian Cravinhos, condenados por matar o casal junto com a jovem.

Conforme Gonçalves, Suzanne lhe disse em uma conversa a sós que o pai de seu então namorado, Daniel, foi o mentor do crime e teria, inclusive, definido quais os instrumentos que seriam usados, em que dias as pessoas seriam executadas e em quais circunstâncias. A advogada da família Cravinhos, Gislaine Jabur, afirmou que não há nenhuma prova de que Suzanne tenha feito tais declarações ao promotor.

Entenda o caso

 
O promotor Gonçalves, de Ribeirão Preto (SP), está suspenso desde o dia 14 de setembro, por 22 dias, após ser acusado de tentar seduzir Suzanne, condenada a 38 anos de cadeia pelos assassinatos. A decisão da Corregedoria-Geral do Ministério Público Estadual foi motivada por denúncia da jovem, que afirmou que o promotor teria se oferecido para ajudá-la e teria colocado uma música romântica quando ela foi ao gabinete dele, em 2007, depor sobre supostos maus-tratos na Penitenciária de Ribeirão, onde estava presa. Berardo nega a acusação.