Motorista abrigava meninas em casa em troca de sexo em SP

 

   SÃO PAULO - A Polícia Civil de Araraquara, interior de São Paulo, instaurou inquérito para apurar a relação entre um motorista de 50 anos e três adolescentes de 15 anos, dentro da casa dele, no Jardim Indaiá. As meninas tinham deixado as suas famílias e, sem ter para onde ir, foram abrigadas pelo morador. Em troca da hospedagem, segundo depoimento das jovens dados na madrugada desta quinta-feira, elas eram obrigadas a manter relações sexuais com o motorista.

 

O caso se tornou público porque elas negaram o sexo e foram ameaçadas de morte. As meninas deixaram na semana passada as próprias casas para "viver" com o motorista, com o objetivo de ter mais liberdade. Ele deu abrigo, mas, segundo o registro da Polícia Militar, que acompanhou o caso, a hospedagem era cobrada com relações.

 

Em depoimento, ele confirmou ter mantido atos sexuais com as garotas. Elas também admitiram o sexo consensual. Porém, pela lei, o caso é considerado como estupro por elas serem menores de idade. As garotas, inclusive, só chamaram a polícia porque foram ameaçadas com um facão. Na delegacia de plantão, todos foram ouvidos e liberados.

 

Mauro Henrique Teixeira, do Conselho Tutelar, diz que o caso será apurado. "Elas deixaram a casa por conta própria. Abrigamos elas para fazer o exame no Instituto Médico Legal (IML) e vamos liberá-las." O caso deve ser apurado pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM).