Manifestantes sem-teto ocupam Ministério das Cidades

Cerca de 250 manifestantes do Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) ocupavam, por volta das 14h, o Ministério das Cidades, em Brasília. O objetivo da ocupação, iniciada ainda pela manhã, é reivindicar o fim dos despejos de famílias sem moradia que ocupam áreas públicas.

Zezito Alves, coordenador do MTST, explicou que há risco de despejo imediato de famílias em pelo menos três Estados - Minas Gerais, São Paulo e Amazonas. No Distrito Federal e no Pará, segundo ele, os despejos também podem ocorrer, mas já há negociações em andamento.

Representantes do movimento e do ministério estão reunidos para discutir a pauta de reivindicações. De acordo com o MTST, os despejos ocorrem por causa de obras de infraestrutura voltadas para a Copa do Mundo de 2014 e a Olimpíada de 2016.

"Nos grandes centros urbanos, as famílias estão sendo reunidas e despejadas para a construção de hotéis e estádios", disse Alves. Segundo ele, o movimento cobra do ministério que os despejos sejam interrompidos e que as famílias sejam removidas e realocadas em locais onde há condições melhores de moradia.

Nos últimos dias, o MTST bloqueou rodovias em diversos Estados. Os manifestantes que, a princípio, ocupavam a entrada do Ministério das Cidades, aguardam a conclusão da reunião no auditório do prédio. O ministério só vai se pronunciar sobre a ocupação após a reunião.