Exame confirma morte cerebral de adolescente baleado em São Paulo

O terceiro e último exame para constatação do diagnóstico do Hospital das Clínicas de São Paulo confirmou que o adolescente de 17 anos baleado na cabeça na quarta-feira teve morte cerebral. De acordo com a tia da vítima, Elisângela Bento, os órgãos serão doados. O procedimento deve começar no final da tarde desta quinta-feira, quando o corpo do rapaz será liberado.

Em nota, o hospital Municipal Dr. Moysés Deutsch - M'Boi Mirim, para onde o paciente foi encaminhado primeiramente, confirmou a morte encefálica do adolescente às 12h50. Ele foi vítima de ferimento no crânio, ocasionado por arma de fogo.

O jovem teria sido atingido em frente à escola Luís Magalhães Araújo, na estrada M'Boi Mirim, zona sul de São Paulo, por um tiro disparado acidentalmente por uma policial militar enviada para conter um tumulto no local. O tumulto era provocado por uma uma festa organizada na via. A PM teria sido cercada por pessoas que tentavam retirar sua arma.

A PM divulgou nota informando que a policial foi autuada em flagrante por lesão corporal culposa e encaminhada ao presídio militar. A Polícia Civil abriu um inquérito, e a corregedoria da PM apurará o caso.

Em frente ao Hospital das Clínicas, amigos e parentes aguardavam para saber do estado de saúde do jovem. Às 17h, os estudantes farão um protesto em frente à escola onde a vítima foi baleada.