Alckmin diz que tom da campanha é o mesmo, apesar de ataques

 

O candidato tucano ao governo do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, negou nesta quinta-feira (23) que houve mudança de tom em sua campanha, mesmo após ataques direcionados ao rival petista Aloizio Mercadante - segundo nas pesqusas de intenção de votos - nas propagandas de rádio e televisão de sua coligação.

"Não houve aumento de tom. Apenas colocamos fatos, que é importante a população saber. Quando São Paulo precisou, não teve a presença, não teve o voto, não teve o trabalho do senador de seu Estado", afirmou o ex-governador em visita a Expo Music, na Expo Center Norte.

Alckmin fez críticas às ausências de Mercadante em sessões no Senado para discutir recursos para o metrô de São Paulo e a CPTM e disse estar confiante no resultado das eleições.

O tucano ainda conversou com lideranças do setor musical e defendeu projetos para incentivar os produtores de instrumentos e o ensino de música nas escolas públicas da rede estadual em sua gestão.

"Quando governador, eu reduzi o ICMS da indústria de instrumentos musicais de 18% para 12%. E nós vamos ter muita oportunidade para os músicos através da escola, levando a música para as escolas estaduais, para os nossos alunos. E de outro lado nos temos as Etecs", explicou o candidato.