PR: polícia identifica skinheads suspeitos de matar estudante

CURITIBA - A Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) do Paraná divulgou as fotos de três suspeitos de integrar o grupo de skinheads que perseguiu, atacou e matou o estudante Lucas Augusto de Carvalho, 18 anos, na noite de 5 de setembro, no bairro São Francisco, na capital paranaense. Fernando Santana, Gabriel de Oliveira Cata Preta e Carlos Rodrigo Túllio Saraiva, 28, 18 e 27 anos, foram identificados por dois rapazes que estavam junto com a vítima na data do crime e por testemunhas. Segundo o delegado Vinicius Martins, da DFR, a polícia tem provas de que os três rapazes identificados faziam parte do grupo de skinheads, grupo de orientação neonazista reconhecido por perseguir minorias. De acordo com a Secretaria de Segurança Pública do Paraná (Sesp), a mãe de Cata Preta contou à polícia que, há dois meses, ele e Santana foram atacados a faca por um grupo de punks. Para o delegado, este seria o motivo do crime. "Eles perseguiram a vítima e quatro amigos até a rua Inácio Lustosa, onde se separaram. Acreditamos que Santana e Cata Preta tenham achado que Carvalho era uma das pessoas que os atacou", disse. Como os amigos da vítima não estavam com ela no momento do ataque, não souberam dizer se os rapazes identificados são os autores do crime ou apenas integrantes do grupo. A polícia encontrou diversas imagens relacionadas à facção dos skinheads no computador de Santana, na loja de tatuagens próximo ao Shopping Muller, onde ele trabalha. "Descobrimos também que Cata Preta tinha relação com Maurício Caetano da Silva, preso anteriormente por ter relação com os skinheads", afirmou. Será solicitada à Justiça a prisão preventiva dos suspeitos. Dos três, Santana é o único que tem passagem pela polícia, por tráfico de drogas. Outras nove pessoas supostamente envolvidas no crime ainda precisam ser identificadas. As imagens das câmeras de segurança do shopping mostram um homem identificado como "Girino", o primo dele, outro rapaz conhecido como "Sapo", e seis integrantes de um grupo que mora em Piraquara, na região metropolitana de Curitiba. Um dos suspeitos teria o nome de Henrique, e os demais integrantes, de acordo com o delegado, seriam parentes dele. A polícia pede para que as pessoas que tiverem informação sobre os suspeitos ou identificarem um dos nove rapazes liguem anonimamente pelos telefones (41) 3218-6100 ou 181. O caso Segundo a polícia, no início da noite de domingo, 5 de setembro, Carvalho e mais quatro amigos teriam sido perseguidos por mais de dez homens carecas que vestiam roupas pretas até a rua Inácio Lustosa, onde ocorreu o crime. Neste ponto, os amigos da vítima seguiram em outra direção e Carvalho foi atacado. Ele levou cinco facadas e morreu a caminho do hospital. Os agressores fugiram, levando a carteira e o celular da vítima. O crime foi configurado como latrocínio.