Doze acusados de corrupção no Amapá deixam a prisão

JB Online

BRASÍLIA - Doze das 18 pessoas acusadas de envolvimento em corrupção no Amapá, e que estavam presas desde sexta-feira, deixaram a sede da Polícia Federal em Brasília, na madrugada desta quarta-feira. A soltura dos detidos atendeu a uma determinação do ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) João Otávio Noronha.

No entanto, o ministro decidiu prorrogar por mais cinco dias a prisão temporária do governador do Amapá, Pedro Paulo Dias (PP), do ex-governador Waldez Góes (PDT), do presidente do Tribunal de Contas do Estado, José Júlio de Miranda Coelho, do secretário de Segurança, Aldo Alves Ferreira, do empresário Alexandre Gomes, e do ex-secretário de Educação José Santos Bittencourt.

Com informações do STJ