Caso Erenice: Gurgel diz que MP não será instrumento da campanha

Luiz Orlando Carneiro, Jornal do Brasil

BRASÍLIA - O procurador-geral da República, Roberto Gurgel, afirmou, nesta quarta-feira, que vai acompanhar atentamente o inquérito aberto pela Polícia Federal para investigar as denúncias de tráfico de influência que envolvem diretamente Israel Guerra, filho da chefe da Casa Civil, ministra Erenice Guerra. Mas sublinhou que não vai deixar que o Ministério Público sirva de instrumento de campanha .

- O Ministério Público atuará independentemente da campanha reforçou. O tempo do MP não é o tempo da campanha política. Temos a preocupação de não virar instrumento da campanha, nem da ministra Dilma, nem do governador Serra.

O procurador-geral explicou que o inquérito, por enquanto, está sob a supervisão do MP do Distrito Federal. A PGR só vai assumir as investigações se for detectado algum indício de incriminação da chefe da Casa Civil do governo, que tem status ministerial.

- Por enquanto, seria prematuro adiantar alguma coisa, pois nem li a representação ainda - acrescentou. - As notícias referem-se a fatos graves, mas não temos nenhum elemento que indique o envolvimento da ministra.